blog-teste-era

Teste ERA: o que é e quem deve fazer?

O teste ERA ou teste de receptividade endometrial é um exame molecular que avalia o estado do endométrio de cada paciente e identifica o melhor período para realizar a transferência do embrião ao útero da futura mãe. É indicado, por sua vez, para mulheres que já passaram por falhas de implantação, após transferência de três ou mais embriões nas Fertilizações in Vitro, ou tiveram vários abortos de repetição. 

Além disso, aproximadamente 20% das mulheres de todo o mundo possuem dificuldade para engravidar por causa do endométrio. Nesse sentido, o teste ERA é um grande aliado para melhorar as taxas de sucesso dos tratamentos destes casos. 

O exame foi criado pelo laboratório espanhol Igenomix, líder mundial em genética na reprodução humana, e personaliza a janela de implantação de cada mulher. Com o resultado, é possível aumentar significativamente a chance de engravidar, diminuindo a possibilidade de perdas gestacionais. 

Teste ERA e receptividade endometrial: qual a relação? 

O teste ERA analisa a receptividade endometrial de cada paciente. Dessa forma, o endométrio é receptivo quando está pronto para que a implantação do embrião aconteça. Este período de receptividade, por sua vez, é chamado de janela de implantação, ou seja, é o período propício para o embrião se fixar no endométrio, se desenvolver e dar continuidade à gestação.  

É importante ressaltar que cada mulher tem uma janela única, dependendo do seu ciclo menstrual. O embrião, em geral, se fixa no útero entre os dias 19 e 21 de cada ciclo, mas, em algumas mulheres, pode ser antes ou depois deste período. O teste ERA, portanto, analisa geneticamente as células do endométrio da mulher, indicando a janela de implantação de cada uma. Desta maneira, é possível transferir os embriões no momento certo.

O que é Endométrio?

O endométrio é o tecido que reveste a parede interna do útero e tem papel fundamental para que a gravidez aconteça. Ele recebe o embrião e ajuda sua fixação no útero. 

Contudo, caso este tecido não esteja preparado, o embrião, mesmo de boa qualidade, não terá forças para dar continuidade ao seu desenvolvimento sozinho. Além disso, este tecido é altamente influenciado pela oscilação hormonal da mulher. Quando não ocorre a gravidez, ele é liberado em forma de menstruação. Ou seja, o sangue da menstruação é o endométrio que descama do útero.   

O teste ERA e a Fertilização in Vitro

O teste ERA é utilizado apenas nos tratamentos de Fertilização in Vitro, pois permite a avaliação da receptividade do endométrio antes de iniciar cada procedimento de FIV. Dessa forma, mesmo quando o exame identifica um endométrio não receptivo, o especialista em reprodução humana pode personalizar a janela de implantação e aumentar as chances de sucesso na Fertilização in Vitro (FIV). 

Quando o teste ERA é realizado?

O teste ERA é realizado antes da transferência embrionária. Neste momento, algumas condições devem estar favoráveis para o êxito do procedimento. Uma dessas condições é o preparo endometrial. Em outras palavras, o endométrio precisa estar receptivo para receber o embrião. 

Ao longo do ciclo menstrual, o endométrio sofre a ação de hormônios e se torna progressivamente mais espesso. Por isso, caso haja algum distúrbio nesse processo, pode haver uma falha de implantação.

Veja o passo a passo da Fertilização in vitro e em qual momento o teste ERA é realizado

Como o Teste ERA é realizado?

O teste ERA avalia se o endométrio está receptivo ou não. Para isso, é feita uma biópsia do endométrio, que analisa a expressão de 238 genes do tecido endometrial, que estão ligados à janela de implantação de cada mulher. 

Dessa forma, um sistema computadorizado analisa estes genes e os classifica como “Receptivo” ou “Não Receptivo”, com uma sensibilidade de 99,7% e especificidade de 88,5%. Além disso, cerca de 55 mil mulheres em mais de 1,5 mil clínicas de Fertilização in Vitro em todo o mundo já realizaram o teste ERA, que resultou em uma taxa de gestação de 73% em pacientes com repetidas falhas de implantação.

Etapas do Teste ERA

É possível fazer o teste ERA com ou sem uso de medicamentos hormonais para o preparo do endométrio. Veja as possibilidades e as etapas de cada processo:

*Os resultados são disponibilizados algumas semanas depois. Por essa razão, a transferência do embrião só é feita no ciclo seguinte, após nova preparação do endométrio. O teste é válido por mais de seis meses.

Teste ERA: quais são suas vantagens sobre outros exames?

O teste ERA, desenvolvido pelo laboratório Igenomix, recebeu o prêmio Prize Paper  2016, pela Society for Reproductive Endocrinology and Infertility. O exame, por sua vez, demonstrou uma melhora significativa nas taxas de gravidez, atingindo 85% de sucesso após transferências de embriões geneticamente analisados em endométrios previamente testados e personalizados. 

Enquanto o método utilizado nos outros exames são procedimentos clássicos baseados em fatores histológicos e sem precisão, o teste ERA demonstrou mais assertividade em seus resultados devido ao sistema computadorizado que analisa os 238 genes envolvidos na receptividade do endométrio.

Dessa maneira, esta análise permite que, antes de iniciar um tratamento de reprodução assistida, seja detectado se há ou não necessidade de personalizar a janela de implantação, permitindo, assim, melhores chances de gravidez.

Se você já passou por abortos de repetição ou por procedimentos de Fertilização in Vitro que não deram certo, converse com o seu médico e veja se o seu caso tem indicação para a realização do teste ERA.

Caso queira saber mais sobre o assunto, acesse:

eBook Nilo Frantz: referência internacional em tratamentos de reprodução humana