Quem tem mioma pode engravidar? Entenda as possibilidades

Quem tem mioma pode engravidar? Essa é uma das perguntas mais frequentes nos consultórios de ginecologia. Afinal, a presença de miomas uterinos é bem frequente em mulheres com mais de 30 anos de idade. Nesse sentido, estima-se que aproximadamente metade das mulheres do mundo sejam portadoras de miomas. 

Mas o que são miomas? Eles causam infertilidade? É possível engravidar com miomas no útero?

Para saber mais detalhes deste assunto, leia o texto abaixo.

O que são miomas, suas causas e sintomas?

Para saber se quem tem mioma pode engravidar, é preciso entender o que é um mioma. Nesse sentido, o mioma uterino ou fibroma uterino é uma espécie de tumor benigno formado a partir do miométrio, a camada muscular do útero. Desta forma, é uma resposta a um desequilíbrio hormonal que causa um enovelamento das fibras musculares e, assim, forma nódulos no órgão.

Sabe-se que o hormônio feminino estrogênio é um dos causadores dessa doença. Por essa razão, os miomas são extremamente comuns, sendo o tumor mais frequente do trato genital feminino, afetando 50% das mulheres em idade reprodutiva. Sendo assim, ele costuma regredir com a chegada da menopausa.

Além disso, os miomas uterinos possuem uma coloração esbranquiçada, de consistência firme e podem ser de vários tipos e tamanhos. Embora eles sejam um tumor, raramente se transformam em câncer. Porém, é muito importante ter o acompanhamento de um médico que vai determinar como proceder em cada caso específico.

Quem tem mioma pode engravidar?

Na maioria dos casos, quem tem mioma pode engravidar já que a existência deste tipo de tumor benigno não tem relação direta com a fertilidade da mulher. Todavia, dependendo do tamanho e de sua localização, ele pode dificultar a gestação. Nesse sentido, muitas mulheres acabam engravidando após o tratamento.

Sabe-se que os miomas intramurais pequenos e os miomas subserosos são considerados irrelevantes para a fertilidade por não afetarem o endométrio.

Já os miomas submucosos de qualquer tamanho e miomas intramurais grandes (com mais de 5 cm) são mais associados à infertilidade. Nesse sentido eles podem gerar abortos de repetição ao distorcer a anatomia uterina e impedir a implantação adequada do embrião no endométrio.

Conheça as diferentes categorias de miomas:

  • Miomas submucosos: forma-se do lado de dentro da cavidade uterina;
  • Miomas intramurais: desenvolvem-se dentro da parede do útero;
  • Miomas subserosos: instalam-se na parte externa do útero.

Quem tem mioma intramural pode engravidar?

O mioma intramural é o tipo de mioma mais comum, responsável por 75% dos casos, e dependendo do seu tamanho pode dificultar a gestação. 

Isto porque esse tipo de mioma, que se forma na parede muscular do útero (miométrio), pode distorcer o formato do órgão quando é muito grande. Além disso, tende a causar alterações na circulação e aumentar a incidência de inflamações, o que dificulta a implantação do embrião e a própria gravidez.

Desta forma, nos casos de miomas intramurais com mais de 5 cm, com distorção da anatomia, há a possibilidade de reduzir a chance de gestação. Desta forma, o especialista em fertilidade pode indicar a melhor conduta. 

Nesse sentido, para as mulheres que querem preservar a fertilidade, uma das possibilidades é a realização de procedimentos cirúrgicos. Além disso, o tratamento pode ser a Miomectomia, cirurgia para retirada do mioma, sem a necessidade remover o útero.

Quem tem mioma submucoso pode engravidar?

Quem tem mioma submucoso pode ter maiores dificuldades para engravidar. Isto acontece pois os miomas submucosos se localizam na parte interna do útero, no endométrio. Desta forma, como é nessa região que o embrião se fixa, este tipo de mioma se relaciona à sangramentos e à infertilidade, por dificultar que a nidação aconteça. 

Nesse sentido, diante de um diagnóstico de mioma submucoso, um dos tratamentos indicados pelos médicos é a histeroscopia cirúrgica, para remover este mioma.

Quem tem mioma subseroso pode engravidar?

As mulheres que apresentam miomas subserosos normalmente podem engravidar já que este tipo de mioma aparece na camada externa do útero, abaixo da parede serosa. Nesse sentido, ele cresce para fora não interferindo assim na implantação do embrião ou na fertilidade feminina. Entretanto, se forem muito grandes (acima de 5 cm), podem ocasionar alterações na contratilidade uterina e comprometer a gestação.

Desta forma, quando os miomas não causam sintomas, não é necessário tratamento específico. Porém, se for responsável por sangramentos ou dor, o médico pode indicar alguma conduta medicamentosa ou cirúrgica.

Quem tem mioma pediculado pode engravidar?

As pessoas diagnosticadas com mioma pediculado têm chances de engravidar, embora em alguns casos seja necessário fazer um tratamento prévio. Nesse sentido, o mioma pediculado é um tipo de mioma subseroso ou submucoso que cresce e acaba se destacando do útero. 

Assim, ele fica conectado à parede uterina por meio de um fino cordão, chamado de pedículo. Desta forma, o mioma pediculado pode surgir no lado de fora do órgão, bem como no lado de dentro, quando recebe o nome de intracavitário. Assim, antes de engravidar é indicado procurar orientação médica sobre cuidados e tratamentos.

Tratamentos dos miomas

Como vimos, boa parte dos miomas não causam infertilidade. Nesse sentido, eles são muito pequenos ou estão em uma região que não atrapalha a implantação do embrião ou o crescimento do feto. 

Mas por outro lado, há miomas que podem prejudicar o desejo de ter filhos. Nesse sentido, dependendo do caso, o mioma nem sempre precisa ser “tratado”, mas apenas acompanhado constantemente pelo médico. Entretanto, quando há sintomas como dores, sangramento ou infertilidade, a retirada do mioma pode ser recomendada.

Desta forma, o tratamento do mioma uterino depende da gravidade dos sintomas de cada paciente. Nesse sentido, se eles são leves e provocam pouco incômodo, é possível fazer somente o acompanhamento do quadro com o ginecologista. Contudo, quando os sintomas do mioma afetam a qualidade de vida da mulher, é preciso retirá-los.

Dessa forma, para as mulheres que não desejam engravidar, o médico costuma dar medicamentos hormonais, como pílulas anticoncepcionais e uso de DIU medicamentoso (dispositivo intrauterino). Porém, para mulheres com infertilidade, nas quais o mioma pode prejudicar a concepção e a implantação do embrião, o tratamento cirúrgico com retirada do mioma (miomectomia) é a opção mais indicada.

Miomas uterinos e Reprodução Assistida: qual a relação?

Como vimos, os miomas uterinos, na sua maioria, não impedem a gravidez, porém, em alguns casos podem representar um obstáculo pois prejudicam a implantação do embrião. Desta forma, é comum que os especialistas indiquem a retirada do mioma, o que geralmente é feita por videolaparoscopia. No entanto, mesmo assim algumas mulheres continuam encontrando dificuldades para engravidar. 

Nesse sentido, em muitos desses casos, técnicas de Reprodução Assistida como a Fertilização In Vitro (FIV) podem ajudar as pessoas a realizarem o sonho de ter um filho. Inclusive, nos quadros mais graves de infertilidade, quando há comprometimento da função uterina, os tratamentos da medicina reprodutiva podem superar barreiras. 

É o que acontece com o útero de substituição, também chamado de útero solidário. Nesse sentido, um embrião formado em laboratórios com óvulo da futura mãe é gestado no útero de outra mulher.

Tenho mioma e engravidei, e agora?

Como vimos, muitas vezes a mulher consegue engravidar mesmo tendo um mioma, o que não costuma representar riscos à mãe ou ao bebê. No entanto, as alterações hormonais típicas da gravidez podem causar o aumento do mioma, por isso o acompanhamento médico é fundamental. 

Nesse sentido, o mioma na gravidez normalmente não é grave, mas podem surgir complicações caso ele seja muito grande, e se localize na parte interna do útero, como no caso do mioma intramural. 

Conheça os riscos de miomas na gravidez:

  • Dor e cólica abdominal: pode aparecer em qualquer período da gestação;
  • Aborto: geralmente acontece no primeiro trimestre da gestação, porque alguns miomas podem causar sangramentos intensos;
  • Descolamento da placenta: pode ocorrer em casos de miomas que ocupam o local ou dificultam a fixação da placenta na parede do útero; 
  • Limitação do crescimento do bebê: acontece por miomas muito grandes que ocupam ou empurram o útero;
  • Parto prematuro: o parto pode ser antecipado por miomas grandes, que causam sangramentos e cólicas.

Como é o tratamento de miomas durante a gravidez?

Nem sempre é preciso tratar o mioma na gravidez. No entanto, para as mulheres que têm dor e sangramento leve é sugerido repouso e o uso de medicamentos analgésicos, como paracetamol. 

Como é o parto de gestante que possui mioma?

A escolha do tipo de parto leva em consideração o tamanho e localização do mioma. Nesse sentido, na maioria das vezes os miomas não representam riscos para a mãe ou ao bebê, especialmente os pequenos e com poucos sintomas. Desta forma, a gestante consegue ter um parto normal

Porém, dependendo do caso, o obstetra pode indicar a cesárea e ainda aproveitar a oportunidade para retirar o mioma, principalmente se estiver na parte de fora do útero. 

Veja quando a cesariana é indicada:

  • Quando o mioma sangra ou há risco de sangramento, causando maior chance de hemorragia no parto;
  • São muito dolorosos, causando dor e sofrimento à mulher durante o parto;
  • Quando o mioma ocupa muito espaço do útero, dificultando a saída do bebê;
  • Quando o mioma envolve grande parte da parede do útero, dificultando ou alterando a sua contração.

Assim como o mioma pode causar dificuldades para realizar o sonho de ter um filho, existem diversos outros fatores que podem implicar em empecilhos para o desenvolvimento da gestação. Por conta disso, a consulta com um especialista focado no diagnóstico é essencial.

Baixe nosso e-book gratuitamente e entenda sobre a importância do diagnóstico antes de realizar qualquer procedimento de Reprodução Assistida.

Técnicas de Reprodução Assistida: um bom diagnóstico é o primeiro passo