Punção de óvulos: entenda como funciona

A punção de óvulos é a coleta dos óvulos produzidos após a estimulação ovariana de uma paciente. Ela é a segunda etapa da Fertilização in Vitro (FIV), tratamento realizado em mulheres que estão com dificuldades de engravidar e precisam recorrer à Reprodução Assistida para realizar o tão desejado sonho da maternidade.

Nesse sentido, sabe-se que a infertilidade pode estar associada a diversos fatores, mas é fato que a fertilidade feminina está diretamente ligada à idade. Assim, com o passar dos anos a mulher vai perdendo a capacidade de reprodução, e antes mesmo de entrar na menopausa, acelera-se a diminuição do número e da qualidade dos óvulos.

Além disso, o avanço da idade causa também falhas de ovulação, até chegar o momento em que a mulher deixa definitivamente de menstruar e de ovular. Mesmo aos 40 anos de idade e menstruando regularmente, a ovulação de uma mulher pode já estar comprometida, e as chances de gravidez se tornam reduzidas.

Por esta razão, muitas mulheres recorrem à Fertilização in Vitro (FIV) para engravidar, e a  punção de óvulos após a estimulação ovariana é crucial para o tratamento. Dessa forma, o objetivo é produzir um número satisfatório de óvulos maduros, enquanto há tempo, para que possam ser utilizados na FIV, oferecendo assim uma maior chance de sucesso nos tratamentos de reprodução assistida.

Punção de óvulos: como é feita?

Para entender como é feita a punção de óvulos, é importante saber que, dentro dos ovários da mulher, existem folículos, onde ficam os óvulos, que precisam ser retirados por meio da punção. Nesse sentido, para que os folículos sejam amadurecidos de forma igual e garantam um maior número de óvulos maduros e de boa qualidade, os ovários são estimulados previamente. Esse estímulo é iniciado, geralmente, dois dias após o início da menstruação, por meio de aplicação de injeções com hormônios específicos. 

Além disso, a punção dos óvulos é realizada, em média, 34 a 36 horas após a administração da última medicação.

imagem representativa de como ocorre a punção de óvulos

Os especialistas acompanham a estimulação ovariana pela ultrassonografia, verificando 

se há necessidade de adequação da medicação e também qual o melhor momento para ser feita a punção dos óvulos. 

Dessa maneira, é importante lembrar que um folículo pode conter no máximo um óvulo, mas pode acontecer também de não ter nenhum, os chamados folículos vazios. Por isso, são aspirados vários folículos  para se obter um número maior de óvulos maduros.

A punção dos óvulos dura cerca de 20 a 30 minutos, dependendo da quantidade de folículos. Apesar de rápido e simples, o procedimento ocorre em algumas etapas. Confira abaixo o passo a passo da punção de  óvulos: 

Sedação

A punção de óvulos é realizada sob leve sedação para que a paciente adormeça, evitando que sinta qualquer dor ou incômodo. Um anestesista garante o monitoramento correto e a segurança do procedimento.

Lavagem

Com o auxílio de um espéculo (instrumento utilizado no exame ginecológico), lava-se a vagina e o colo uterino com soro fisiológico.

Punção dos óvulos

Uma fina agulha, acoplada ao aparelho de ultrassom, é introduzida na vagina da paciente e chega até os ovários, penetrando nos folículos para a punção. Este aparato está ligado a uma espécie de bomba a vácuo, que promove a sucção responsável por aspirar o líquido folicular. Nesse sentido, o procedimento é feito lentamente em cada folículo para não danificar os óvulos contidos dentro deles.

O líquido aspirado de cada folículo ovariano é depositado em tubinhos que contêm uma solução nutritiva semelhante àquela produzida pelas trompas. Na sequência, o material é levado imediatamente ao laboratório para verificar a presença dos óvulos.

O médico responsável pelo procedimento verifica se está tudo em ordem, retira a agulha e posteriormente o transdutor do ultrassom. Em alguns casos, pode ocorrer um leve sangramento no local da punção, mas desaparecerá rapidamente.

Avaliação

No laboratório, os óvulos são transferidos para uma placa que contém um líquido em condições ideais, semelhante ao organismo da mãe, indispensável para a fecundação e desenvolvimento do embrião.

Dessa forma, o material colhido será analisado por um embriologista que, através de um microscópio, vai verificar exatamente quantos óvulos estão aptos para serem fecundados. 

A coleta do sêmen será realizada no mesmo dia, conforme orientação dos especialistas, e os espermatozóides serão triados e utilizados para a fertilização in vitro. Em casos de sêmen de doador, este é preparado para utilização, fazendo-se necessário o descongelamento e seleção dos melhores espermatozoides para o procedimento de fertilização.

Além disso, importante ressaltar que muitas pacientes realizam a punção de óvulos com o objetivo de adiar a maternidade, utilizando o congelamento de óvulos.  Neste sentido, as mulheres podem escolher o momento certo para serem mães, sem se preocupar com o avanço da idade.

Cuidados posteriores

Abaixo, seguem alguns cuidados que devem ser tomados após a punção de óvulos:

  • A mulher deve permanecer em repouso até o fim do efeito sedativo do procedimento;
  • Algumas mulheres relatam sonolência em decorrência do efeito anestésico, podendo haver leve incomodo na região abdominal. Por isso, é recomendado também repouso em casa no dia da coleta;
  • Em geral, no dia seguinte ao procedimento, é possível retornar às atividades normais;
  • Se os óvulos não forem congelados, a paciente deve retornar à clínica, em até cinco dias após a punção dos óvulos, para a transferência do embrião ao útero.

Os resultados esperados

De maneira geral, cada folículo contém um óvulo. No entanto, nem sempre é obtido o número de óvulos correspondentes ao de folículos vistos no ultrassom. Isso acontece porque algumas vezes a taxa de hormônio estradiol é alta, impedindo a visualização de todos os folículos. 

Por outro lado, quando o estradiol está baixo e a quantidade de folículos é pequena, é possível que não haja nenhum óvulo, condição chamada de síndrome do folículo vazio.

Além disso, existe ainda a taxa de óvulos que não resistem ao procedimento de punção de óvulos e triagem. Por isso, somente após a análise do embriologista é que se pode precisar a quantidade real de óvulos obtidos que serão fertilizados.

Em linhas gerais, os resultados podem variar bastante, mas estima-se que uma estimulação ovariana resulte de 2 a 15 óvulos maduros coletados.

Os possíveis riscos

A punção de óvulos é um procedimento que oferece riscos mínimos. Em menos de 1% dos casos, pode ocorrer sangramento ovariano, devido à perfuração pela agulha. Nestes casos, deve-se entrar em contato com o especialista, pois uma laparoscopia será realizada para conter a hemorragia.

Punção de óvulos e a taxa de gravidez: qual a relação? 

A punção de óvulos é uma das etapas mais importantes no tratamento da fertilização in vitro.  Dessa forma, a chance de sucesso de uma gravidez pode depender de diversos fatores, desde a receptividade endometrial  até mesmo a qualidade dos óvulos. Mas o número de gametas obtidos pela punção de óvulos é de crucial relevância para aumentar as taxas de sucesso no tratamento.

Nesse sentido, ao realizar o ciclo de estimulação ovariana, os ovários de uma paciente passam a produzir uma quantidade muito superior de folículos dominantes, que podem possuir ou não óvulos. De acordo com um estudo do periódico científico Human Reproduction, os especialistas em reprodução humana notaram maiores chances de sucesso num ciclo de fertilização in vitro com 15 óvulos coletados.

Relação da idade da paciente, número de óvulos coletados e taxa de nascidos vivos

O Departamento de Embriologia e Fertilização Humana do Reino Unido analisou mais de 400 mil ciclos de FIV. A partir desta pesquisa, os especialistas perceberam que o índice de sucesso dos tratamentos de reprodução assistida com 10 a 15 óvulos maduros coletados foi o seguinte:

Relação da idade da paciente, número de óvulos coletados e taxa de nascidos vivos

 A partir destes dados, os pesquisadores fizeram um gráfico relacionando a idade da paciente, o número de óvulos obtidos e o índice de nascimento. A conclusão foi que:

a.  As mulheres com menos de 35 anos apresentam as maiores taxas de sucesso, independentemente da quantidade de óvulos obtidos;

b.  As pacientes com menos de 38 anos, que se submeteram à fertilização in vitro, possuem taxas de sucesso (nascidos vivos) regulares, mesmo com apenas 3 a 6 óvulos;

c.  Mulheres de 38 a 40 e entre 41 e 42 anos de idade possuem menores taxas de sucesso com um número baixo de óvulos. As taxas de sucesso são muito melhores quando números relativamente altos de óvulos são obtidos;

d.  Todos os grupos etários apresentaram taxas muito baixas de sucesso quando obtidos menos de três óvulos.

Taxa de nascimento por óvulos obtidos e idade da mulher

Por esta razão, os médicos orientam os casais a realizarem o procedimento de estimulação ovariana e de punção de óvulos, com o objetivo de obter óvulos suficientes para aumentar as taxas de sucesso. Nesse sentido, caso alguns embriões tenham o desenvolvimento interrompido, não atingindo o estágio de blastocisto, ainda restam outros que podem ser transferidos. Os medicamentos utilizados e as doses devem ser individualizadas para que haja o número ideal de óvulos obtidos em um ciclo de fertilização in vitro.

Punção de óvulos: quais as principais considerações e recomendações?

A partir deste texto, conhecemos um pouquinho mais sobre o que é e como é feita a punção de óvulos. Confira abaixo as principais considerações e recomendações para quem vai realizar este procedimento:       

  • A punção normalmente é feita entre o 11º e o 14º dia da estimulação ovariana que, por sua vez, começa no primeiro ou no segundo dia do ciclo menstrual;
  • A punção de óvulos é um procedimento habitualmente agendado com dois ou três dias de antecedência;
  • É necessário que a paciente esteja em jejum de 8 horas para poder ser anestesiada;
  • É considerado um procedimento minimamente invasivo, com baixíssimos riscos;
  • Após a punção de óvulos, a paciente fica na clínica até acordar e depois vai para casa passar o dia de repouso;
  •  Ao final da punção de óvulos, é possível saber o número total de óvulos conseguidos pelo procedimento;
  • Em alguns casos, no mesmo dia que é realizada a punção, é feita também a coleta do sêmen para a fertilização in vitro;
  •  No dia seguinte à punção, a paciente pode retornar às atividades normais;
  •  Depois de fertilizado in vitro, o embrião é transferido ao útero da paciente até cinco dias após a punção de óvulos.

Você viu aqui que a punção de óvulos é uma das etapas da Fertilização in Vitro. Se você tiver interesse em saber mais sobre todo o tratamento da FIV, acesse o link clicando na imagem abaixo e veja como é possível realizar o sonho da maternidade: 

Conheça o passo a passo da Fertilização in vitro