ligadura-de-trompas-e-vasectomia

Ligadura de Trompas e Vasectomia: como funciona cada procedimento

A Vasectomia e a Ligadura de trompas dizem respeito à esterilização definitiva do homem e da mulher, respectivamente.

Os procedimentos de Esterilização, atualmente, são relativamente simples e não apresentam qualquer efeito colateral. No entanto, é importante lembrar que a legislação brasileira possui regras rígidas para a realização da esterilização.

Por vezes, pode ser indispensável a realização dos procedimentos para salvar a saúde dos pacientes, como em casos de câncer do ovário ou dos testículos.

Pensando nisso, elaboramos este post para que você conheça as diferenças entre os procedimentos de Vasectomia e Ligadura de trompas.

Boa leitura.

O que é Laqueadura?

A Laqueadura consiste no bloqueio das trompas como método de anticoncepção definitivo. A obstrução das trompas impossibilita o encontro do óvulo com os espermatozóides, o que seria o processo chamado fecundação. 

Atualmente, a técnica de Laqueadura mais usada é através da colocação de um “stent tubário”, parecido com uma mola. 

A cirurgia pode  ser realizado em regime ambulatorial, sem o uso de qualquer anestesia. 

O procedimento é indicado para a mulher que queira uma anticoncepção definitiva. Em outras palavras, é a esterilização feminina para pacientes que não querem ou, por algum motivo de saúde, não podem mais engravidar. 

Por exemplo, em alguns casos de câncer nos ovários, pode ser necessário retirar as trompas, procedimento conhecido como Salpingectomia. A retirada das trompas também é indicada para prevenção contra infecções pélvicas.

Como funciona?

Existem diversas técnicas de Laqueadura Tubária, podendo ser realizadas através de incisão abdominal, vaginal ou histeroscopia.

De acordo com cada técnica, o procedimento é diferente e deve ser avaliado pelo cirurgião responsável. Pode ser necessário usar anestesia geral ou raquidiana com ou sem sedação, tudo vai depender da avaliação clínica. No caso da colocação do stent tubário, não existe a necessidade do uso de anestésicos.

No caso de incisão abdominal, o procedimento pode ser realizado no pós-parto de tipo cesárea, quando houver risco à vida ou à saúde da mulher ou do bebê e os médicos devem assinar um testemunho sobre a decisão. 

O procedimento deve ser autorizado e assinado por dois médicos. Em casos mais simples, o cirurgião pode optar por fazer pequenos cortes acima do púbis.

No caso da laparoscopia, são realizados pequenos cortes a periumbilical, região da linha média do abdômen, deixando apenas pequenas cicatrizes.

Já os procedimentos vaginais e por histeroscopia não deixam cicatrizes. Nesses casos, a exposição das trompas é realizada pela vagina e o stent é colocado por meio da técnica de histeroscopia, que consiste na introdução de uma haste flexível com uma luz e uma câmera acoplada na ponta, que projeta a imagem para que o médico possa visualizar as trompas e realizar o procedimento.

Todas as especialidades médicas são habilitadas a fazer o procedimento. Caso seja por Laparoscopia ou  Histeroscopia, deve ser realizado apenas por um Ginecologista com especialização nesse procedimento.

O que é a Vasectomia?

Por outro lado, a Vesectomia é o procedimento cirúrgico que interrompe o fluxo de espermatozóides produzidos nos testículos.

O procedimento também é conhecido como Laqueadura, Esterilização masculina ou Ligadura dos ductos deferentes.

Vale salientar que a legislação federal impõe como condição para a realização da esterilização cirúrgica, o registro da expressa manifestação da vontade em documento escrito e firmado, após a informação a respeito dos riscos da cirurgia, possíveis efeitos colaterais, dificuldades de sua reversão e opções de contracepção reversíveis existentes. 

Além disso, as leis estabelecem que a esterilização depende do consentimento expresso dos dois membros do casal.

Como funciona?

A Vasectomia é uma cirurgia relativamente simples, realizada por um médico Urologista em um hospital ou clínica. 

Os pequenos ductos deferentes que transportam o esperma ficam logo abaixo da pele, e por meio de uma pequena incisão de cada lado da bolsa escrotal, os ductos deferentes são cortados e bloqueados por fios de sutura. Dessa forma, os espermatozóides não serão mais ejaculados.

Basicamente, existem dois tipos de Vasectomias: Método com incisão e Método sem incisão.

Os métodos sem incisão reduzem o risco de infecção e outras complicações e o tempo de recuperação é bem menor.

Os dois tipos de procedimentos são rápidos, duram cerca de 30 a 35 minutos e o paciente pode ir para casa no mesmo dia.

Por fim, vale ressaltar que a Vasectomia é uma técnica permanente e só deve ser realizada se o homem e sua parceira estiverem 100% confiantes que não desejam filhos no futuro.

Considerações finais

Como vimos ao longo do post, a Vasectomia e a Laqueadura são os procedimentos de esterilização definitiva para homens e mulheres, respectivamente.

Vale frisar que com os tratamentos de reprodução assistida existentes atualmente, é possível realizar o sonho de ter filhos através de inseminação artificial ou fertilização in vitro, mesmo para pacientes que tenha se submetido a tratamentos De esterilização definitiva.

No caso de realizar o procedimento voluntariamente, é importante lembrar que a legislação brasileira possui regras que regulamentam a esterilização voluntária e que é fundamental estar totalmente convicto/a da decisão.

No entanto, esses procedimentos podem ser realizados para preservar a saúde e a vida do paciente, não deixando como opção de escolha, mas de necessidade.
Se você achou que o nosso post ajudou você a conhecer mais sobre as diferenças entre a Vasectomia e a Ligadura de trompas, clique aqui e complemente seus conhecimentos sobre as melhores técnicas de medicina reprodutiva do Brasil.

O nosso compromisso maior é gerar possibilidades para a vida.