Homem trans pode engravidar? Tire todas as dúvidas sobre o assunto

Você sabia que homem trans pode engravidar? O primeiro caso foi registrado nos Estados Unidos, em 2008, e desde então a gestação transexual masculina tem se tornado cada vez mais comum.

No texto a seguir vamos explicar todas as dúvidas sobre o assunto: como um homem trans pode engravidar, se há risco ou dificuldade para uma gestação e se é possível amamentar o bebê. 

O que é ser transgênero?

Antes de mais nada, é importante explicar que uma pessoa transgênero tem uma identidade de gênero diferente do sexo que foi designado no momento do nascimento. Ou seja, ela não se identifica com o próprio corpo.

Sendo assim, a pessoa trans pode ser tanto uma trans-binária, como um homem trans ou mulher trans, ou como pessoa não-binária, aquela que não se identifica com nenhum dos gêneros ou, então, se identifica com ambos. 

Vale ainda esclarecer que a identidade de gênero é diferente da orientação sexual. Assim, pessoas trans podem ter qualquer orientação sexual, incluindo heterossexual, homossexual, bissexual e assexual.

Homem trans pode engravidar?

Os homens trans são pessoas que nasceram com vagina e os órgãos reprodutores femininos. Porém, ao longo do tempo, passam a se identificar como homens.

Desta forma, por não se reconhecer no próprio corpo, uma pessoa trans pode passar por uma cirurgia de redesignação sexual. No caso do homem trans é possível retirar as mamas e os órgãos femininos. No entanto, uma vez que os ovários e o útero são mantidos, ele tem a possibilidade de engravidar e gerar um filho, assim como uma mulher cis gênero.

Homem trans pode engravidar alguém?

Sim, um homem trans pode engravidar alguém na medida em que seus óvulos podem ser utilizados para gerar um embrião que será gerado por outra pessoa. Para isso é preciso utilizar a técnica de Fertilização In Vitro para que a gestação aconteça. Desta forma podemos considerar que ele participou ativamente da gravidez.

Homem trans pode engravidar tomando hormônio?

O homem trans pode engravidar, porém, o uso da testosterona deve ser interrompido para que a gestação ocorra de forma normal. Nesse sentido, se não houver a interrupção da medicação, pode ocorrer aborto ou alterações na genitália do bebê. 

Quanto tempo o homem trans fica sem hormônio para engravidar?

Os médicos explicam que se o homem trans ficar um período longo sem fazer o tratamento com os hormônios masculinos, a progesterona pode se sobrepor em um curto espaço de tempo. 

Nesse sentido, vai depender do tipo de hormônio utilizado, seja via oral, gel, injetável de ação rápida ou prolongada. Assim, em alguns meses os ovários já podem assumir sua função novamente e voltar a ovular.

Qual tamanho mínimo do útero para homem trans engravidar?

Ao fazer o tratamento com o hormônio masculino, existe uma alteração nos órgãos reprodutivos femininos, que acabam atrofiando. No entanto, ao parar com a medicação, em alguns meses o útero volta ao tamanho normal durante a idade fértil.

Nesse sentido, ele pode variar entre 6,5 a 10 centímetros de altura por cerca de 6 centímetros de largura e 2 a 3 centímetros de espessura. 

Como homem trans pode engravidar?

Como já vimos, homens trans podem engravidar naturalmente, desde que possuam o aparelho reprodutor feminino. No entanto, é necessário pausar o uso da testosterona antes e durante a gestação e a amamentação. 

Nesse sentido, ao parar o tratamento hormonal os sinais masculinos irão regredir e dessa forma, voltará o ciclo menstrual, a ovulação e a possibilidade de engravidar.

Veja a seguir as diferentes formas para um homem trans engravidar.

Um homem trans pode engravidar uma mulher cis?

Quando o casal é formado por homem trans e mulher cis (identidade de gênero idêntica ao que foi atribuído no nascimento) o tratamento de Reprodução Assistida é o mesmo de um casal homoafetivo feminino. Nesse sentido, é utilizado os óvulos do homem trans que serão fecundados com esperma doado de banco de sêmen e implantados no útero da parceira. 

Caso o homem trans deseje usar seus óvulos para engravidar em algum momento da vida ou ainda doar os gametas, é recomendado o processo de congelamento de óvulos, se possível antes mesmo da transição.

Uma mulher cis pode engravidar um homem trans?

Sim, é possível. Aliás, nesta configuração familiar, é o mais indicado por conta das medicações que o homem trans utiliza. Neste caso, com a Fertilização In Vitro, serão utilizados os óvulos da mulher cis, fecundados com esperma doado de banco de sêmen e o embrião implantado no útero do homem trans. Contudo, ainda assim, é importante que o homem trans pare totalmente de tomar a medicação para que possa gestar com segurança o bebê.

Uma mulher trans pode engravidar um homem trans?

Sim, uma mulher trans pode engravidar um homem trans se os órgãos reprodutivos do casal foram mantidos. O mais indicado nestes casos é utilizar as técnicas de Reprodução Assistida como a Inseminação Artificial ou Fertilização In Vitro

Assim, o esperma da mulher trans pode ser introduzido diretamente no útero do homem trans ou fecundado em laboratório com os óvulos do parceiro. Se for FIV, depois do embrião formado, ele é transferido para a cavidade uterina do transgênero masculino.

Um homem cis pode engravidar um homem trans?

Sim, um homem cisgênero (que se identifica com sexo biológico em que nasceu) pode engravidar um homem trans, desde que o parceiro não tenha retirado o útero durante a transição.

Como é a gravidez do homem trans?

O processo de gravidez, assim como o parto de um homem trans é igual ao da mulher cis gênero. Nesse sentido, na maioria das vezes, não é de alto risco e nem precisa de cuidado especial. 

Homem trans pode amamentar?

Existem várias dúvidas em relação a amamentação de um homem trans. É possível amamentar? A resposta é sim. Assim como o homem trans pode gerar um filho, ele também consegue amamentar. Veja mais detalhes abaixo: 

O seio do homem trans cresce para amamentar?

Sim. Se ele tiver mantido as mamas, o seio vai crescer como em qualquer outra gestação. Assim, o homem trans poderá amamentar seu filho biológico sem maiores problemas.

O homem trans mastectomizado pode amamentar?

Caso o transexual masculino seja mastectomizado não poderá amamentar, já que não produzirá leite por não ter mais as mamas. No entanto, é possível buscar outras formas de amamentação, assim como acontece com algumas mulheres.

Quanto tempo depois de engravidar o homem trans pode voltar a tomar hormônio?

Se o homem trans pretende amamentar, ele só poderá voltar a tomar o hormônio masculino depois do desmame. Caso, ele não for amamentar, já é possível retornar à medicação após o parto. Porém, em ambos os casos, é importante pedir ajuda e orientação médica.

Depois de engravidar o homem trans tem direito a licença paternidade?

A realidade é que a legislação brasileira quando foi criada não considerou, de maneira adequada, a diversidade das novas famílias. Sendo assim, o tema ainda é bastante discutido pois as leis não foram pensadas para serem aplicadas entre pessoas homossexuais e de transgêneros.

No entanto, já há jurisprudência de igualar os direitos trabalhistas a todas as pessoas, independente da sexualidade e identidade de gênero. Desta forma, muitos juízes já entendem que ser homossexual ou trans não tira o direito de usufruir das leis que envolvem o ambiente de trabalho e qualquer outro. Assim, transexuais masculinos e gays já estão conseguindo a licença paternidade como os heterossexuais. 

Além disso, muitas empresas têm concedido a licença-paternidade igualmente para todos. No entanto, se o casal tiver qualquer problema nesse sentido, o ideal é que procure por um advogado a fim de adotar medidas judiciais contra a discriminação. 

Quanto tempo é a licença paternidade do homem trans?

A lincença paternidade do homem trans é igual a dos homens cis. Nesse sentido, a legislação brasileira garante o afastamento de cinco dias. Contudo, o tempo pode se estender até 20 dias, caso a empresa esteja cadastrada no Programa Empresa Cidadã. 

Entretanto, se o homem trans tiver sido a pessoa que engravidou, ele pode recorrer ao judiciário para conseguir a licença-paternidade de 180 dias. Vale lembrar que recentemente o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou e deu ganho de causa a um pai solteiro de gêmeos gerados por Fertilização In Vitro e barriga solidária. Ele estava recorrendo da decisão do INSS que não queria dar a licença-paternidade de 6 meses. A decisão dos juízes, se baseou na Constituição e no Estatuto da Criança e Adolescente que equiparam homens e mulheres nos deveres de guarda dos filhos menores de idade.

Ainda, segundo os ministros, esta jurisprudência passa a legitimar as novas configurações da família, sempre com a finalidade de proteção integral da criança e do adolescente.

Homem trans pode engravidar: veja o que diz o CFM

A boa notícia é que pessoas transgênero foram recentemente incluídas oficialmente na resolução do CFM n° 2.294 como beneficiárias da técnica de Reprodução Assistida. Veja abaixo o que diz a nova resolução:

II – PACIENTES DAS TÉCNICAS DE RA

  1. Todas as pessoas capazes que tenham solicitado o procedimento e cuja indicação não se afaste dos limites desta resolução podem ser receptoras das técnicas de RA, desde que os participantes estejam de inteiro acordo e devidamente esclarecidos, conforme legislação vigente.
  2. É permitido o uso das técnicas de RA para heterossexuais, homoafetivos e transgêneros.

É permitida a gestação compartilhada em união homoafetiva feminina. Considera-se gestação compartilhada a situação em que o embrião obtido a partir da fecundação do(s) oócito(s) de uma mulher é transferido para o útero de sua parceira.


Quer entender mais sobre a importância do diagnóstico para o sucesso dos tratamentos de Reprodução Assistida? Clique na imagem abaixo e baixe gratuitamente nosso e-book “Técnicas de Reprodução Assistida: um bom diagnóstico é o primeiro passo”:

Técnicas de Reprodução Assistida: um bom diagnóstico é o primeiro passo