blog-cisto-de-ovario

Entenda o impacto do Cisto de Ovário na fertilidade feminina

Apresentar um quadro de cisto ovariano pode ser uma verdadeira dor de cabeça para mulheres que almejam ser mães um dia, uma preocupação grande já que esse tipo de diagnóstico pode afetar sua fertilidade. 

E para entender sobre o caso de forma aprofundada, bem como a forma que o cisto pode acarretar dificuldades para gerar um filho, preparamos esse texto sobre esse assunto. 

Desejamos uma excelente leitura!

O que é cisto de ovário?

O cisto de ovário é mais conhecido popularmente pela semelhança a uma bolsa contendo líquido ou material sebáceo que se forma sobre ou dentro do ovário. Sua presença no organismo, por sua vez, pode causar dores fortes na região pélvica.

O cisto de ovário, dependendo de onde esteja localizado, pode acabar causando dores mais fortes no período menstrual, já que desregula o fluxo da mulher que o tenha desenvolvido. 

Existem alguns tipos de cistos de ovário, e o mais conhecido é o cisto funcional, que pode possuir dois tipos de especificidades, sendo os foliculares (que são gerados antes da fase da menstruação da mulher)  e os lúteos, gerados a partir da ovulação.

Sintomas de cisto no ovário

Alguns dos principais sintomas de cisto de ovário, são: dores e inchaço na região pélvica, dor ao evacuar, dor antes que o período menstrual inicie (podendo ser confundido com as cólicas menstruais), enjoo, vômito e dor ao se movimentar.

Caso o cisto ovariano se rompa, é provável que sintomas como sangramentos e dor fiquem ainda mais frequentes e evidentes em boa parte das ocorrências. 

Além disso, a dor também pode piorar com o ato sexual, fazendo com que a mulher não se sinta estimulada a prosseguir com a relação por conta do desconforto. 

Conheça os 5 sintomas de cisto no ovário mais frequentes!

Cisto de ovário e a fertilidade feminina: qual é a relação?

Como é uma alteração ginecológica diagnosticada de maneira frequente nos consultórios médicos, muitas mulheres temem que a relação entre o cisto de ovário e a fertilidade feminina prejudique a gravidez natural.

Esse quadro, por sua vez, acomete 25% das mulheres em idade reprodutiva. Dessa forma, mulheres com faixa etária dos 20 aos 35 anos, que apresentem outras condições ginecológicas, como doença inflamatória pélvica (DIP) ou endometriose, podem ter maior propensão em desenvolver o cisto. 

Sem o tratamento ideal, o cisto de ovário e a fertilidade feminina pode ter uma relação capaz de gerar prejuízos, como dificuldade de engravidar naturalmente ou até interferindo no desenvolvimento da criança na barriga.

É importante ressaltar, contudo, que o cisto é um obstáculo, mas não impede que a gravidez ocorra.

Entretanto, é muito importante que um médico tenha a oportunidade de diagnosticar a tempo, para que possa indicar o melhor tratamento para a retirada do cisto, preferencialmente antes das tentativas de gravidez.

Boa parte dos cistos ovarianos acontecem devido ao próprio processo natural de ovulação. Os cistos funcionais, tais como o cisto de corpo lúteo ou o cisto folicular, podem regredir de forma natural, sem a necessidade que aconteça qualquer tipo de tratamento e não afetando a fertilidade feminina. 

Porém, o cisto ovariano de grandes dimensões, como o cistoadenoma, que se desenvolve a partir da endometriose, pode promover torções ovarianas ou tubárias, o que dificulta a gravidez natural. Além disso, esse tipo de cisto pode levar a mulher a se submeter a uma cirurgia para poder retirá-lo.

As pacientes que têm endometriose, por sua vez, precisam ter atenção, pois a sua fertilidade pode acabar sofrendo alterações hormonais e na ovulação por conta da presença da doença no organismo.

Cisto de ovário tem solução?

Sim. Como falamos anteriormente, dependendo do caso e do tamanho do cisto, ele pode regredir naturalmente, ou a retirada pode acontecer por meio cirúrgico. 

O tratamento mediante anticoncepcionais também é uma alternativa, que deve ser recomendado pelo médico de acordo com cada quadro.

Nesse sentido, quanto antes for diagnosticado, mais fácil de conseguir lidar com o quadro sem que o mesmo apresente riscos para a fertilidade feminina ou para o desenvolvimento do feto ainda na barriga. 

Portanto, ao sentir os primeiros sintomas, não hesite em buscar a ajuda de um ginecologista para que ele possa orientá-la e consiga tratar o problema.

Considerações finais

O cisto no ovário é um dos principais problemas que dificulta o processo natural da mulher gerar um filho.

Dependendo do caso, além do cisto conseguir regredir sem a necessidade de qualquer procedimento médico, também pode não afetar a fertilidade feminina. 

Para dar continuidade ao assunto sobre infertilidade, indicamos a leitura do material “10 perguntas para fazer durante a consulta ao especialista de infertilidade” para que você fique preparada e saiba o que esperar na consulta com o seu médico.