Endometriose e infertilidade, qual a relação?

A medicina ainda não desvendou totalmente quais são os fatores relacionados à endometriose e infertilidade. 

No entanto, é sabido que a doença provoca um processo inflamatório, e a aderência do endométrio em outros órgãos (que não o útero) podem provocar problemas de infertilidade. 

Mas, apesar de as causas da patologia não serem totalmente conhecidas, os avanços na medicina podem ajudar a eliminar a doença e reverter o quadro de infertilidade.

Pensando nisso, elaborei este post para você conhecer qual a relação da endometriose e infertilidade feminina.

Boa leitura!

O que é a endometriose?

Em primeiro lugar, para entender o que é a endometriose, é necessário saber o que é o endométrio. Ele é o tecido que reveste a parte interna do útero e, a cada 28 ou 30 dias, é eliminado através da menstruação. 

Nesse sentido, quando esse tecido começa a crescer em outros órgãos fora da cavidade uterina, como ovários e pelve, ocorre a endometriose. Em alguns casos mais graves, ele pode se alojar na bexiga e no intestino. 

A ciência, por sua vez, ainda não desvendou por completo o que causa a doença. No entanto, é possível apontar fatores genéticos e imunológicos como possíveis causas. 

Além disso, existem estudos que apontam que o estresse e a ansiedade também podem agravar o quadro.

Qual a relação entre endometriose e infertilidade?

Principais motivos da endometriose afetar a fertilidade

Diagnóstico da endometriose

O diagnóstico da endometriose pode ser facilmente confundido, já que os sintomas são parecidos com as dores que ocorrem durante a menstruação. 

Aliás, esse é um dos motivos pelos quais algumas mulheres só descobrem a doença quando tentam engravidar e não conseguem.

Nesse sentido, a reversão do quadro também depende da mulher, que precisa ficar atenta aos sintomas, já que ainda não existe um exame específico para detectar a doença.

Sendo assim, o diagnóstico é feito por um médico especialista, através da análise da combinação de exames de sangue, ultrassonografia transvaginal e ressonância pélvica.

Quando esses exames apontam indícios do problema, uma laparoscopia deve ser realizada, de forma a detectar o local da doença e, se possível, tratá-la durante o mesmo procedimento.

Quem tem endometriose pode engravidar?

Embora seja possível, mulheres com endometriose têm mais dificuldade para engravidar, principalmente, quando os ovários e as tubas uterinas estão comprometidos. 

Porém, há relatos de mulheres que conseguiram engravidar naturalmente, mesmo tendo sido diagnosticadas com endometriose profunda.

Mas, se o funcionamento dos ovários ou das trompas estiver comprometido, a recomendação é consultar um médico para que ele possa retirar todo o tecido endometrial que esteja dificultando a gravidez.

E, se após esse procedimento, a dificuldade de engravidar persistir, será necessário investigar outras possíveis causas de infertilidade, como a síndrome dos ovários policísticos.

Gravidez com endometriose

Como mencionamos no tópico anterior, embora a endometriose dificulte a gravidez, ela não a impede, nem causa outros grandes problemas para a gestação.

Aliás, na maioria das vezes, pode haver uma melhora nos sintomas da doença durante a gestação. 

Dessa forma, os especialistas explicam esse fenômeno como um reflexo do aumento da progesterona no organismo feminino. 

Esse hormônio é produzido em grande quantidade durante a gravidez e pode diminuir o avanço das lesões provocadas pelo acúmulo do endométrio. 

Outra razão, por sua vez, para essa melhoria da doença durante a gravidez, é a ausência de menstruação.

Já nos casos de endometriose profunda, os reflexos da doença podem ser um pouco mais graves. Nessas situações, a mulher está mais sujeita a desenvolver uma gravidez ectópica, ou seja, fora do útero.

Também é importante ressaltar que, seja qual for o grau da doença e os riscos relacionados, é fundamental que a mulher faça um acompanhamento médico dedicado, para que o especialista possa monitorar qualquer tipo de alteração no corpo da mulher e intervir se for necessário.

Nesse sentido, o tratamento para a endometriose durante a gravidez é, na maioria das vezes, considerado desnecessário.

Tratamentos para endometriose

Nos casos de endometriose leve ou moderada, o tratamento mais recomendado é o clínico. Ele pode ser feito através de medicamentos via oral, injeção ou a colocação de um dispositivo intrauterino. 

Já nos casos em que a doença está mais avançada, a videolaparoscopia é o tratamento mais indicado.

Em outras situações, o médico deve avaliar a situação das trompas, para verificar a possibilidade de engravidar por métodos naturais ou se será necessário realizar algum procedimento de reprodução assistida, como a fertilização in vitro.

Considerações finais

É sabido que a endometriose e a infertilidade são motivos de preocupação para mulheres que desejam engravidar.

Vimos, também, que a doença pode dificultar bastante o processo de concepção natural. 

A boa notícia, contudo, é que, nos dias de hoje, com a tecnologia, os meios de diagnóstico e tratamentos existentes, é possível eliminar a doença e reverter o quadro de infertilidade.

Sendo assim, se você identificar alguns dos sintomas ou sinais mencionados, a principal recomendação é procurar um médico especialista, que é a pessoa mais capacitada para elaborar um diagnóstico preciso e planejar o tratamento mais adequado para o seu caso.

Para ter acesso a informações mais detalhadas sobre a endometriose, recomendo a leitura do nosso ebook: ”Endometriose e a Gravidez: como realizar o sonho da maternidade”.