blog-menopausa-precoce

É possível engravidar na menopausa precoce?

A menopausa precoce acomete uma pequena parte das mulheres que desejam engravidar. Por não ser comum, muitas vezes, acaba aparecendo de surpresa na vida das mulheres que ainda estariam em idade biológica e fértil para conseguir gerar um filho.

Porém, será que a menopausa precoce impossibilita que a mãe consiga realizar o seu sonho em ser mãe?

Desta forma, resolvemos preparar um texto para abordar como a menopausa precoce, que acomete grande parte das mulheres em idade biológica normal, afeta os planos de ter filhos e se há soluções para o caso. Continue acompanhando e entenda mais. 

Desejamos uma excelente leitura!

O que é menopausa precoce?

A menopausa precoce é um quadro clínico em que a mulher apresenta menopausa, isto é, período onde deixa de menstruar e ovular. Geralmente, ocorre antes dos 32 anos e por isso é chamada de precoce, já que o período natural seria em torno dos 40 anos de idade.

A menopausa precoce não acontece por conta de distúrbio hormonal, mas sim por conta de falência ovariana na mulher ainda em idade fértil. 

Essa falência ovariana prematura, também conhecida como FOP, se dá pela perda temporária ou até definitiva da função do organismo em produzir hormônios após a menarca (primeira menstruação). 

Ocorrendo antes dos 40 anos, se caracteriza por um número menor de folículos ovulatórios, resultando na alteração hormonal.

Entretanto, não há uma causa que determine como o problema surge. A menopausa precoce pode se originar de vários fatores, como da própria genética, por exemplo. 

Desta forma, é importante que a mulher saiba identificar no histórico da mãe e das avós quando elas entraram na menopausa, pois há uma tendência que o cenário se repita.

Alguns médicos também apontam que outros fatores externos ajudam a antecipar a menopausa, sendo eles: tratamentos contra câncer ou após a remoção dos ovários.

Tratamentos como quimioterapia e radioterapia visam impedir o crescimento celular de células malignas. O que acontece também é que nesses tratamentos não apenas as células malignas são atingidas, como as benignas. 

Dessa maneira, os efeitos colaterais desses procedimentos contra o câncer podem resultar na falência prematura dos ovários, ocasionando a menopausa precoce.

Doenças autoimunes, como lúpus também podem fazer com que o quadro de menopausa precoce se instale ao alterar e acelerar a mudança hormonal no organismo.

Sintomas da menopausa precoce

Alguns sintomas, como: calor em excesso, suores noturnos, desconforto corporal, ondas de calor (que podem durar até meia hora), irregularidade menstrual, que diminui progressivamente ou desaparece em alguns meses, podem apontar a menopausa precoce.

Ressecamento vaginal, aumento de peso, perda de memória, irritabilidade, perda de massa óssea, ansiedade, depressão e alterações no humor também não sintomas da menopausa precoce.

Esses sintomas são também muito parecidos com o da menopausa natural e a idade precisa ser levada em conta, além do histórico familiar, para saber de onde pode ter iniciado. 

Por isso, ao notar sinais de boa parte deles, é importante consultar um médico especialista na área de ginecologia para ajudar a entender melhor seu caso.

Diagnóstico da menopausa precoce

Com a presença dos sintomas acima, fica mais fácil determinar se a menopausa prematura existe no organismo da mulher. O diagnóstico é muito importante, principalmente para as mulheres que desejam ter filhos. 

Por meio de exame físico feito pelo médico, exames de dosagem hormonal e o ultrassom ovariano, é possível identificar com precisão se os sintomas apresentados se tratam de menopausa precoce. 

Exames de sangue também devem ser realizados para investigar se há presença de doenças autoimunes, como lúpus, por exemplo.

Com o diagnóstico correto, o tratamento de Terapia de Reposição Hormonal, a TRH, pode ser uma das alternativas para que a mulher retome o seu ciclo fértil.

Esse tratamento se faz ainda mais importante, pois mulheres que apresentam menopausa precoce tendem a possuir um risco 4x maior para desenvolvimento de doenças cardíacas e 7x maior para desenvolvimento de osteoporose, por conta da fragilidade do organismo sem o ciclo fértil em dia.

Menopausa precoce e as chances de engravidar

A mulher que apresenta o quadro de menopausa possui uma chance menor que 10% para conseguir engravidar naturalmente.

A partir de procedimentos de implantação de óvulos, por meio de ovodoação e Fertilização In Vitro, as chances para que uma mulher com menopausa precoce engravide aumenta para até 50%. 

Se você ainda não conhece o procedimento de fertilização in vitro, te convidamos a ler nosso ebook gratuitoFertilização in vitro: como o método garantiu o aumento das taxas de sucesso na Reprodução Assistida”.

A menopausa precoce diminui e muito as chances de uma gravidez natural, entretanto, com o tratamento adequado e indicado por um especialista, as chances tendem a aumentar consideravelmente. 

Mais sobre menopausa

A menopausa é uma das preocupações para as mulheres que desejam engravidar depois da idade fértil ter passado. 

Por isso, para dar continuidade ao assunto, indicamos a leitura do material “Menopausa: como combater os sintomas” para que você entenda ainda mais sobre os efeitos da menopausa no organismo e em sua fertilidade.

Esperamos que goste!

Considerações finais

A menopausa pode ser um dos grandes desafios que as mulheres enfrentam quando ainda desejam engravidar. 

Porém, quando ela acontece antes do previsto, esse desafio pode ficar ainda maior para a realização do sonho da maternidade. 

Por isso, buscar ajuda ao notar os primeiros sintomas pode ajudar a reverter essa situação com o tratamento adequado para cada tipo de caso. 

Se você está em busca de profissionais e alternativas que te ajudem a engravidar com saúde, clique aqui e conheça as melhores técnicas de medicina reprodutiva do Brasil.

O nosso compromisso maior é gerar possibilidades para a vida.