blog-biopsia-endometrio

Como é realizada a Biópsia do Endométrio?

A fertilidade feminina pode ser comprometida por diferentes doenças. E uma das formas de diagnosticar a qualquer indício de infertilidade, é por meio da realização de um exame que chamamos de biópsia do endométrio

Este procedimento visa diagnosticar alterações ocorridas no interior do útero. Além de alterações atípicas no órgão, a biópsia também pode checar o surgimento, inclusive, de câncer.

Para você saber mais sobre a biópsia do endométrio, preparamos esse texto que explica a importância da realização deste exame.

Desejamos uma boa leitura!

O que é o endométrio?

Primeiramente, vamos esclarecer o que é o endométrio e qual é a sua função dentro do corpo de uma mulher.

O endométrio é um tecido vascularizado que reveste a parede interna do útero. Ele sofre alterações de acordo com estímulos hormonais, o que afeta o tamanho de sua espessura durante o ciclo menstrual.

Quando esse tecido é descamado, ocorre o início da menstruação. Ao fim do sangramento menstrual, o endométrio inicia novamente o processo de espessamento, até alcançar o pico e, por fim, descamar. Desta forma, há o início e o término dos ciclos menstruais. 

Uma das funções do endométrio é receber a implantação do embrião no estágio inicial da gravidez. Posteriormente, durante a gestação, é o local onde ocorre o desenvolvimento da placenta. 

O que é uma biópsia?

Antes de detalharmos o que é e como se dá a biópsia do endométrio, responsável por checar casos de doenças que comprometem a fertilidade feminina, vamos explicar o que é uma biópsia.

A biópsia é um exame de procedimento invasivo, que analisa as alterações que podem comprometer a integridade dos tecidos do corpo por meio da retirada de um fragmento considerado suspeito.

É um procedimento que, por observar quaisquer mudanças no corpo, pode identificar e diagnosticar a presença e intensidade de doenças, como, por exemplo, o câncer.

A duração da coleta em uma biópsia costuma ser rápida, já que não é necessária a internação do paciente.

Geralmente, para se realizar a biópsia, é necessária a aplicação de uma anestesia local ou sedação, dependendo da região que será examinada. A biópsia pode ser realizada em regiões como pele, mama, rim, tireóide e colo do útero.

A partir disso, o médico consegue recolher, com uma agulha, pinça ou bisturi, parte do material que será examinado no laboratório.

Como a região é anestesiada, o procedimento é indolor. Porém, pacientes mais sensíveis podem notar uma leve pressão ou desconforto na área examinada.

Biópsia do endométrio

Como dito, a biópsia do endométrio é um exame ginecológico que identifica mudanças intra uterinas, ou seja, ocorridas no interior do útero. 

Entre essas alterações, o exame pode notar a presença de sangramentos e/ou presença de células anormais, diagnosticando casos que podem comprometer a fertilidade feminina.

Com a coleta da amostra do endométrio da paciente, os resultados conseguem analisar e comprovar resultados referentes às suas características.

Como é realizada a Biópsia do Endométrio?

Após a anestesia local ou sedação da paciente, um instrumento específico é introduzido dentro da vagina e em direção ao útero.

Há a realização de uma sucção, que aspira fragmentos do endométrio, que serão coletados e analisados em laboratório. 

O procedimento é rápido e demora poucos minutos para ser totalmente realizado.

Algumas pacientes sentem uma cólica similar à menstrual ou até um pouco mais forte, que dependerá de sua sensibilidade ser maior o menor. 

Em quanto tempo sai o resultado da biópsia?

De forma geral, os resultados de biópsias podem estar prontos em um ou dois dias após o recebimento da amostra no laboratório.

Porém, alguns aspectos podem atrasar a entrega, o que acaba gerando ansiedade e apreensão nos pacientes. Tudo vai depender do tipo de tecido que está sendo analisado.

Entre as barreiras que podem ser enfrentadas pelo patologista, estão: a necessidade de mais tecido; o tempo de penetração da solução de formol usada para preservar o tecido e até mesmo a segunda opinião de um especialista. 

Com o resultado em mãos, a paciente deve levar as questões e considerações ao médico especialista, que vai checar se a biópsia apontou, por exemplo, para um caso que compromete a fertilidade feminina.

Mais sobre fertilidade feminina

Neste texto, explicamos brevemente sobre como uma biópsia do endométrio pode checar a presença de doenças que comprometem a fertilidade feminina.

A infertilidade pode ocorrer por meio de hábitos nocivos à saúde, como o tabagismo. E, embora muitas pessoas não façam essa associação, fumar pode afetar as tentativas de engravidar. 

Para darmos continuidade ao assunto, indicamos a leitura do material “A influência do Tabagismo na fertilidade feminina”.

Esperamos que goste!

Considerações finais

A biópsia do endométrio é realizada por meio de uma coleta da amostra do endométrio. Se for diagnosticada alguma mudança nesta região do corpo, essa alteração pode comprometer a fertilidade feminina.

Este exame vai determinar se o seu corpo está ou não preparado para receber um bebê. Caso não esteja, o médico responsável indicará possíveis formas de tratamento.

Se ainda houver dúvidas acerca da biópsia do endométrio ou da fertilidade feminina, não deixe de entrar em contato com uma equipe especializada e que possa te ajudar a sanar essas questões. 

Se você está em busca de profissionais e alternativas que te ajudem a engravidar com saúde, clique aqui e conheça as melhores técnicas de medicina reprodutiva do Brasil.

O nosso compromisso maior é gerar possibilidades para a vida.