blog-8-maneiras-de-aumentar-a-fertilidade

Conheça 8 maneiras de como aumentar a fertilidade!

Para entender como aumentar a fertilidade, é preciso ter clareza de que a fertilidade é definida como a aptidão de se reproduzir, ou seja, a capacidade natural de um indivíduo de produzir uma gravidez através do método natural (relação sexual). Ela depende de uma série de fatores que envolvem não apenas questões físicas nos aparelhos reprodutores masculinos e femininos, mas também aspectos psicológicos, estilo e a qualidade de vida dos indivíduos. 

Nesse sentido, a fertilidade é também muito influenciada pelos hábitos alimentares e escolhas nutricionais de homens e mulheres. Desta forma, alguns ajustes na alimentação e no estilo de viver o dia a dia de cada um podem contribuir para  aumentar a fertilidade.

O que significa aumentar a fertilidade?

Aumentar a fertilidade significa buscar caminhos para ampliar as chances de uma gravidez natural, já que a probabilidade de um casal engravidar naturalmente é baixa: cerca de 15% a 20% a cada ciclo menstrual da mulher.

Além disso, um casal é considerado fértil quando consegue a gravidez em um período de 12 meses, através de relações sexuais, sem uso de métodos contraceptivos. Nesse sentido, estudos mostram que aproximadamente 70% dos casais, sem problemas de fertilidade, engravidam nos primeiros 6 meses de tentativas, e 85% deles atingem a gravidez ao final de um ano. Quando isto não acontece, ou seja, quando o casal não engravida após um ano de tentativas, apresenta-se um quadro de infertilidade que deve ser investigada. De acordo com as causas da infertilidade masculina e ou feminina, médicos especialistas em reprodução humana podem avaliar qual o melhor tratamento.

Como saber se tenho problemas de fertilidade?

Para saber se existe algum problema na fertilidade, homens e mulheres podem fazer o Check Up da fertilidade, uma avaliação médica completa para verificar e acompanhar como está o potencial reprodutivo.

As pessoas já estão acostumadas a fazer anualmente um check up da saúde geral, mas poucos sabem da importância de fazer o check up da fertilidade. Sendo assim, mesmo que ter filhos seja um plano para o futuro, é importante acompanhar desde cedo o potencial reprodutivo masculino e feminino. Para isso, uma avaliação periódica pode evitar problemas, detectar doenças tratáveis e ajudar pacientes a se planejarem para o momento que decidirem se tornar pais.

Como funciona o check up da fertilidade para homens e mulheres?

O check up da fertilidade inicia com uma consulta médica: ginecologista para mulheres e urologistas para os homens. Nesta conversa, o especialista vai conhecer melhor o paciente, entendendo aspectos como: 

  • Histórico familiar
  • Estilo de vida;
  • Existência ou não de hábitos como alcoolismo ou tabagismo
  • Presença ou não de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão etc.
O que o check up da fertilidade também investiga na mulher
O que o check up da fertilidade também investiga no homem

Dessa maneira, a partir dos resultados do check up, homens e mulheres podem tomar atitudes importantes para preservarem seu potencial reprodutivo, como mudança nos hábitos de vida, tratamento de possíveis doenças e congelamento de gametas. Mulheres que planejam postergar a maternidade, por exemplo, têm no congelamento de óvulos uma uma boa alternativa. 

Além disso, o check up da fertilidade pode identificar também problemas de infertilidade que impossibilitem uma gravidez natural. Nestes casos, homens e mulheres podem recorrer aos tratamentos de reprodução assistida, que têm ajudado cada vez mais pessoas a realizarem o sonho de ter um bebê. 

Qual a relação entre reserva ovariana e fertilidade?

O termo reserva ovariana é usado para expressar a quantidade de óvulos que a mulher tem nos ovários e que determina o potencial reprodutivo feminino. Nesse sentido, existem dois marcadores que avaliam a reserva ovariana:  

  1. Contagem de folículos antrais, exame feito através de ecografia, que mostra o número de folículos nos ovários
  2. Exame anti- mulleriano, exame de sangue que também faz a contagem do número de folículos onde estão os óvulos. 

Estes dados são determinantes, pois a curva da reserva ovariana vai decrescendo com o avanço da idade, ou seja, o número de óvulos diminui com o passar dos anos e conseqüentemente vai ficando mais difícil engravidar. 

Em relação à idade, o homem tem uma fertilidade maior do que a mulher?

No fator idade, o homem é mais fértil do que a mulher, apesar de a fertilidade masculina também sofrer um declínio com o avançar da idade. 

Dessa maneira, por volta dos 60 aos 65 anos, o homem tem a metade da fertilidade que tinha aos 40. Já a mulher, aos 35 anos, tem a metade da fertilidade que tinha aos 25 anos. Ou seja, com os homens, também existe um declínio da fertilidade, mas esta curva acontece mais tarde e de forma menos acentuada.

Confira 8 maneiras de como aumentar a fertilidade

No momento em que se pensa em métodos para aumentar a fertilidade, os hábitos inadequados do dia a dia e algumas substâncias do meio ambiente podem prejudicar e muito o  processo de fertilização. 

Por isso, se você está tentando engravidar por métodos naturais e já sabe que não apresenta problemas de infertilidade, saiba que existem recomendações práticas que ajudam a aumentar a fertilidade. A seguir, veja dicas simples de mudanças de hábitos que podem te ajudar a engravidar mais rápido.

1. Mantenha peso saudável

O peso interfere diretamente na fertilidade. Dessa forma, mulheres que estão abaixo ou acima do peso saudável correm o risco de ter mais dificuldades para engravidar, pois estar com muitos quilos a mais ou a menos pode desregular os hormônios e, assim, interferir na ovulação. 

Por esse motivo, manter um peso corporal saudável ajuda a regular a ovulação e, consequentemente, ajuda no processo de aumentar a fertilidade.

Nos homens, o peso interfere na contagem e qualidade do esperma. Nesse sentido, estudos mostram uma relação entre obesidade e deficiência na produção de esperma. Muita gordura corporal tende a interferir nos hormônios reprodutivos, o que prejudica a fecundação do óvulo.

2. Previna DSTs (Doenças Sexualmente transmissíveis)

As DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) prejudicam não apenas a saúde geral, mas também a fertilidade de homens e mulheres. A gonorreia e a clamídia são algumas dessas doenças que podem causar infertilidade. Para se proteger, use sempre preservativos nas relações sexuais

3. Beba pouco café e bebidas alcoólicas.

O excesso de café ou álcool pode prejudicar as mulheres que querem engravidar. Dessa forma, beber 500 miligramas de cafeína por dia, que equivale a 5 xícaras de café, pode causar diminuição da fertilidade. O ideal é manter uma ingestão moderada de cafeína, cerca de 200 miligramas ao dia.

Além disso, homens e mulheres que estão tentando engravidar também devem ter cautela em relação a bebidas alcoólicas. Pesquisas científicas observaram que o risco de infertilidade aumenta entre as mulheres que consomem duas ou mais doses de bebidas alcoólicas por dia, podendo causar distúrbios da ovulação.  No homem, o álcool em excesso está associado à diminuição da testosterona e do volume do sêmen. Ele também pode causar impotência; portanto,  bebidas alcoólicas devem ser ingeridas de forma moderada.

 4. Não Fume

O hábito de fumar pode trazer importantes consequências para a fertilidade. Nesse sentido, nas mulheres fumantes, o cigarro pode afetar a receptividade do útero, prejudicando a possibilidade de gravidez. O fumo  também aumenta o risco de aborto espontâneo, tanto nas gestações naturais como naquelas que resultam de tecnologias de reprodução assistida.

Nos homens, o tabaco duplica o número de radicais livres, reduz a quantidade e a mobilidade dos espermatozoides, aumenta o risco de anormalidades no esperma e defeitos genéticos no embrião. Ou seja, o fumo é inimigo da saúde e da fertilidade.

5. Reduza o Stress

A ansiedade e o estresse intenso provocam alterações hormonais que afetam a produção de óvulos e espermatozoides saudáveis, prejudicando a fertilidade feminina e masculina. Por isso, é importante achar formas para controlar o estresse, como meditação, técnicas de mindfulness, respiração profunda e outras atividades relaxantes. Nesse sentido, praticar exercícios regularmente também é fundamental, pois, além de trazer benefícios para a saúde, como a perda de peso, ajuda a regular os hormônios e a melhorar a motilidade dos espermatozoides. 

Na mulher, o exercício físico traz também vantagens para a ovulação, mas vale o alerta: atividade física em excesso pode causar disfunção menstrual e gerar uma quantidade muito grande de radicais livres, substâncias que interferem na qualidade celular. Portanto, a dica é manter um rotina de exercícios, mas sem exageros. 

6. Evite as toxinas

Alguns produtos químicos, como pesticidas, chumbo e solventes orgânicos podem contribuir para a infertilidade masculina e feminina.  

Nesse sentido, mulheres expostas a certas toxinas e solventes, como as utilizadas nas impressões, nas lavagens a seco, em cabeleireiros e em algumas indústrias podem ter sua fecundabilidade diminuída. A exposição a pesticidas também é uma preocupação para os trabalhadores agrícolas, pois podem causar diminuição da fertilidade.

7. Tenha uma alimentação saudável e equilibrada

A alimentação pode afetar a fertilidade muito mais do que imaginamos. Por isso, se você busca aumentar a fertilidade e melhorar as chances de engravidar, procure comer alimentos que ajudem ao bom funcionamento dos hormônios sexuais e a estimular a maturação dos óvulos e a qualidade dos espermatozoides, como frutas, verduras, legumes, nozes, castanhas e peixes.

Estes alimentos são poderosos antioxidantes e anti-inflamatórios, ricos em vitaminas e minerais, como vitamina E, vitamina C, complexo B, zinco e ômega 3 e são indicados para o casal.

É indicado, também, evitar frituras, embutidos, e alguns peixes como salmão, atum, que podem conter metais pesados e atuarem como disrruptores endócrinos, interferindo no funcionamento de hormônios.

É fundamental estar sempre bem hidratado, beber pelo menos oito copos de água por dia. Isso ajudará a manter uma boa atividade metabólica.

Recomendações para se ter uma dieta saudável e aumentar a fertilidade

8. Durma Bem

A quantidade e qualidade do sono são importantes fatores quando se quer aumentar a fertilidade. Nesse sentido, o hormônio do sono, a melatonina, tem ação antioxidante e é essencial para o processo reprodutivo. Ela equilibra a ação dos radicais livres, melhora a maturação e qualidade do óvulo, e consequentemente, contribui de forma positiva para a fertilização.

O padrão de sono no homem também pode afetar sua capacidade de ter filhos, já que o sono está relacionado à produção de hormônios. O tempo de descanso está diretamente relacionado com os níveis de testosterona que o homem apresenta e sua consequente capacidade de fertilização.

Como aumentar as chances de engravidar naturalmente? 

Alguns casais conseguem engravidar logo nas primeiras tentativas, outros passam meses tentando sem sucesso. Mesmo que a família já tenha outros filhos, a tentativa e a espera por uma gravidez podem ser muito desgastantes. Nesse sentido, existem alguns fatores e cuidados simples que podem contribuir para aumentar a fertilidade conjugal.

IDADE E FERTILIDADE

A idade interfere diretamente na fertilidade, principalmente na fertilidade feminina. Isso acontece devido ao fato de as mulheres já nascerem com uma quantidade limitada de óvulos que vão diminuindo em quantidade e qualidade ao passar dos anos. A partir dos 35 anos, a mulher entra em um período crítico, marcado pelo declínio da sua capacidade reprodutiva, e as chances de engravidar naturalmente caem significativamente. Além disso, com aumento da idade, cresce também a incidência de patologias ginecológicas, como a endometriose e os miomas uterinos que dificultam ainda mais as possibilidades de uma gravidez.

A fertilidade masculina também é atingida com o aumento da idade, mas os efeitos são menos acentuados do que nas mulheres. Nos homens, os espermatozoides se renovam constantemente, e embora os parâmetros seminais piorem após os 35 anos, a fertilidade masculina tende a ser realmente afetada após os 50 anos.

O PERÍODO FÉRTIL

Um dos principais fatores a ser levado em conta quando se pensa em engravidar é o período fértil da mulher, fase do ciclo feminino em que pode ocorrer a gestação. Esse período é definido como o intervalo de 6 dias que antecedem a ovulação, terminando no dia em que ela acontece. 

Além disso, estudos que avaliaram as chances de gestação mostraram que as possibilidades de gravidez aumentam quando a relação sexual acontece no intervalo de até 3 dias antes da ovulação. Porém, manter relações a cada dois dias durante o período fértil também aumenta as chances de engravidar.

Para mulheres com ciclos de 28 dias, a ovulação ocorre no 14º dia, já para mulheres com intervalos menores, inicia-se antes, e para quem tem ciclo mais longo, começa depois. 

Por isso, é sempre importante manter um registro aproximado da ovulação para acompanhar e conhecer o período fértil de cada mulher.

FREQUÊNCIA DAS RELAÇÕES SEXUAIS

Uma dúvida recorrente entre casais que estão tentando engravidar é em relação à frequência das relaçoes sexuias, ou seja, quantas vezes por semana devem manter relações para aumentar as chances de gravidez? 

Nesse sentido, alguns acham que estender o tempo entre as relações sexuais aumenta a concentração de espermatozoides, o que não é verdade. Depois de uma semana, a contagem de esperma é um pouco maior, mas a motilidade diminui. Portanto, não fazer sexo por mais de cinco dias pode afetar a contagem de espermatozoides e causar uma queda importante na chance de engravidar .

Verificou-se que, quando as relações são diárias, as chances de gravidez são maiores 

(37% por ciclo). Esse percentual é parecido quando as relações sexuais acontecem a cada 2 dias (33% por ciclo). Como os espermatozoides sobrevivem, em média, 48 horas dentro do trato genital feminino, acredita-se que, se o casal mantiver relações sexuais a cada 2 dias, sempre haverá espermatozoides vivos para fertilizar um óvulo. 

Então, para aumentar a fertilidade do casal, o indicado é ter relação todos os dias ou a cada dois dias, mas a combinação não deve gerar pressão ou stress entre o casal.

MONITORANDO A OVULAÇÃO

Algumas mulheres são capazes de identificar o período da ovulação através de mudanças que ocorrem na libido, na dor, no humor e no muco cervical. Um dos principais indícios de ovulação é a alteração do muco cervical que se torna mais claro, transparente, escorregadio e mais volumoso. 

Existem outras formas de monitoramento da ovulação, mas menos eficientes. Uma delas é o uso de fitas de LH, disponíveis em farmácias. Porém, cerca de 10% dos testes podem dar um resultado falso positivo. Por isso, medir a temperatura basal também é um método bastante utilizado, embora apresenta os piores resultados de gravidez.

USO DE LUBRIFICANTES

Na busca pela gravidez, as relações sexuais se tornam mais frequentes e casais podem usar  mais lubrificantes vaginais.  É importante ficar atento pois alguns desses produtos podem interferir na fertilidade.  Lubrificantes à base de água tendem a diminuir a mobilidade e a velocidade dos espermatozóides prejudicando o potencial reprodutivo. Isto já não acontece com óleo mineral, óleo de canola e lubrificantes à base de hidroxietilcelulose. Os lubrificantes “caseiros” como óleo para bebês, óleo de canola ou clara de ovo também não apresentam riscos.

RELAÇÃO SEXUAL E A FERTILIDADE

Muitas mulheres acreditam que permanecer em repouso, deitadas de barriga para cima ou com as pernas elevadas, após a relação sexual, facilita o transporte de espermatozoides e evita o vazamento de sêmen da vagina, facilitando a gravidez. Outras crença muito popular é a relação entre a posição durante a relação sexual e o gênero (sexo) do bebê. 

Estes são apenas mitos, sem nenhuma comprovação científica. 

EVITE TEMPERATURAS ALTAS

Alguns estudos sugerem que a exposição dos testículos à fontes de calor e temperaturas altas podem prejudicar o esperma e a afetar a fertilidade. A sugestão de médicos e especialistas em reprodução é evitar situações que aumentem a temperatura escrotal, como banheiras de hidromassagem, sauna, roupas íntimas apertadas e deixar notebook e celulares muito tempo no colo.

DROGAS ILÍCITAS

O uso de drogas ilícitas prejudica  diretamente a fertilidade. A maconha, por exemplo, pode causar alterações da condição espermática prejudicando a fecundação do óvulo. Nas mulheres, a maconha pode interferir na processo da ovulação. Outras drogas como o crack e a cocaína também devem ser evitadas pois provocam o aumento da produção de substâncias que são tóxicas para os testículos.

Como aumentar a fertilidade com a escolha certa dos alimentos

Como já foi falado, os alimentos têm influência direta com a fertilidade, podendo interferir de forma positiva ou negativa no processo reprodutivo. O organismo precisa estar em equilíbrio  para que consiga desenvolver a atividade reprodutora com sucesso, com os hormônios relacionados à fertilidade sendo produzidos de forma adequada. 

Os alimentos têm nutrientes essenciais e agentes antioxidantes que ajudam o bom funcionamento dos gametas masculino e feminino.  Da mesma forma, se o indivíduo tiver uma alimentação inadequada, rica em alimentos industrializados, processados, ricos em gordura trans ou em poluentes, o mecanismo de fertilização poderá estar alterado.

Quais os alimentos que mais contribuem para o aumento da fertilidade?

Os cuidados na escolha dos alimentos e na forma como serão ingeridos faz toda a diferença para aumentar a fertilidade. Devem ser retirados da dieta diária os alimentos industrializados, processados e ricos em produtos químicos. 

Trazem benefícios à fertilidade  alimentos ricos em nutrientes, vitaminas, minerais e antioxidantes como:

  • Verduras, legumes e frutas;
  • Gorduras das nozes, amêndoas, castanhas, avelãs, macadâmia, abacate, coco e azeite de oliva extra virgem;
  • Peixes de água fria; 
  • Carboidratos complexos como aipim, cará, inhame, batata doce;
  • Temperos ricos em fitoquímicos como a cúrcuma, açafrão e páprica;
  • Alimentos in natura e ricos em nutrientes, isentos de agrotóxicos;
  • Fibras;
  • Muita água para se manter bem hidratado;

Como a nutrição aumenta a fertilidade?

Como se sabe, a fertilidade humana é impactada por diversos fatores. Elementos ambientais como as toxinas, os poluentes, pesticidas, agrotóxicos e os metais tóxicos podem causar envelhecimento ovariano, alteração na ovulação e interferir no processo de implantação do embrião no útero e comprometer uma possível gravidez.

O estilo de vida também influencia diretamente a capacidade reprodutiva de homens e mulheres. Questões como sedentarismo, estresse, sono ruim, peso e alimentação podem ser responsáveis por um real declínio da fertilidade. Por isso, casais que estão se preparando para ter um filho devem ficar atentos a todos esses fatores, procurando fazer escolhas que contribuam para aumentar a fertilidade, entre eles, cuidar da alimentação. 

Os Nutrientes são fundamentais 

  • Para as células se construírem;
  • Para todo metabolismo celular.

Os Xenobióticos 

  • Concorrem com os nutrientes;
  • Bloqueiam sua ação.

Alimentação adequada

  • Alimentos anti-inflamatórios;
  • Alimentos antioxidantes;
  • Gorduras;
  • Proteínas;
  • Carboidratos;
  • Vitaminas e minerais.

Ferro 

  • Previne anemia;
  • Bom para coração;
  • Para imunidade;
  • Oxigenação;
  • Crescimento do feto.
Como aumentar a fertilidade através da nutrição: Alimentos para quem tem deficiência por baixa ingestão de ferro
Como aumentar a fertilidade através da nutrição: Alimentos para quem tem deficiência de ferro por má absorção
Como aumentar a fertilidade através da nutrição: Alimentos que prejudicam a absorção de ferro
Como aumentar a fertilidade através da nutrição: Alimentos que favorecem a absorção de ferro

Ácido Fólico/ Folato (B9)

  • Regula ciclo ovulatório;
  • Formação do embrião;
  • Implantação;
  • Contra aborto recorrente;
  • Melhora níveis de estradiol;
  • Anemia megaloblástica;
  •  Síntese e reparação do DNA;
  • Divisão e crescimento celular;
  • Melhora resposta à FIV;
  • Defeito tubo neural.
Como aumentar a fertilidade através da nutrição: Alimentos em que se encontra ácido fólico/ Folato / B9
Como aumentar a fertilidade através da nutrição: alimentos ricos em zinco

Zinco no Homem 

  • Produção de hormônios sexuais parâmetros do espermatozoide.

Vitamina B12

  • Previne anemia megaloblástica;
  • Desenvolvimento e manutenção do sistema nervoso e das células vermelhas;
  • Formação do DNA;
  • Carnes, peixes, ostras, mariscos, ovos, laticínios;
  • Vegetais fermentados como chucrute, soja.

Vitamina D (sol)

  • Controla inflamação;
  • Modula progesterona;
  • Controla bactérias do endométrio;
  • Relacionada à implantação;
  • Controla contratibilidade do útero.
Como aumentar a fertilidade através da nutrição: Alimentos ricos em vitamina D

 Como os alimentos melhoram a fertilidade masculina?

Estima-se que aproximadamente 40% das lesões causadas no espermatozoide têm relação com os radicais livres, que podem promover danos nos genes, e consequentemente prejudicar a fertilidade. As vitaminas são compostos orgânicos e nutrientes essenciais que o organismo não consegue produzir por conta própria, e o seu consumo pode melhorar a produção de hormônios sexuais e ajudar na contagem e na qualidade do espermatozoide.

Vitamina A

É essencial para a produção de hormônios sexuais masculinos. A falta de vitamina A pode reduzir o volume de sêmen, a quantidade e a morfologia dos  espermatozoides.

Como aumentar a fertilidade através da nutrição: alimentos que são fontes de vitamina A

Vitamina E

Tem ação antioxidante que ajuda manter a qualidade da membrana celular dos espermatozoides, evitando que ela seja danificada pela ação dos radicais livres. A deficiência dessa vitamina pode levar à degeneração do tecido testicular.

Como aumentar a fertilidade através da nutrição: alimentos que são fontes de vitamina E

Vitamina C

Importante antioxidante, é uma das vitaminas essenciais para o desenvolvimento de espermatozoides saudáveis. A vitamina C aumenta a motilidade, o que permite que consigam atingir o óvulo.

Como aumentar a fertilidade através da nutrição: alimentos que são fontes de vitamina C

Selênio

É um antioxidante que protege as células da ação dos radicais livres. O selênio é extremamente importante para formar espermatozoides bem modelados e mantê-los num número considerado normal.

Como aumentar a fertilidade através da nutrição: alimentos que são fontes de selênio

Zinco

É o mineral mais importante na função sexual masculina e é usado em quase todos os aspectos da reprodução, como o metabolismo da testosterona, o desenvolvimento dos testículos e a produção de espermatozoides. Também atua para regular a motilidade e a quantidade de espermatozoides.

Como aumentar a fertilidade através da nutrição: alimentos que são fontes de zinco

Como os alimentos melhoram a fertilidade Feminina?

As mulheres devem prestar muita atenção à sua nutrição. A escolha dos alimentos traz benefícios à saúde geral e também contribuem para aumentar a fertilidade feminina.São indicados alimentos ricos em zinco, vitamina B6, ômega 3 e antioxidantes, para estimular a produção dos hormônios sexuais e desenvolvimento dos óvulos. Deve-se ingerir pelo menos cinco porções de vegetais e frutas de cores diferentes por dia, além de consumir frutas secas e sementes 1 vez por dia. 

  • Vitamina A ou betacaroteno, como cenouras, batata-doce, alperces secos, abóbora e agriões;
  • Vitamina C, como vegetais verdes, pimentão, kiwi, tomates e frutas cítricas;
  • Vitamina E, como frutas secas, sementes, peixes, abacates, feijões e batata-doce;
  • Selênio, como castanha-do-pará, sementes de sésamo, couves e cereais integrais;
  • Zinco, como carne, peixe, ostras, sementes, frutos secos, ovos e vegetais verdes folhosos;
  • Fitonutrientes presentes nas frutas e vegetais de todas as cores, como beterraba vermelha, mirtilos azuis, pimentão amarelo, toranjas rosadas e vegetais verdes folhosos.

Quero engravidar, como aumentar a fertilidade?

Se vocês está se preparando para engravidar, ou já está tentando há alguns meses, relembre algumas dicas importantes que podem te ajudar a diminuir o tempo de espera e a alcançar com sucesso uma gravidez.

  • A Idade da mulher é um fator muito importante quando se pensa em gravidez, pois a fertilidade feminina cai drasticamente a partir dos 35 anos. Se a gravidez não acontecer em 6 meses de tentativas, é indicado procurar um especialista em reprodução assistida.
  • Identificar a janela fértil da mulher e manter relações sexuais diariamente ou a cada 2 dias. Neste período, pode aumentar as chances de gravidez.
  • Lubrificantes vaginais à base de água devem ser evitados.
  • O fumo, drogas e bebidas alcoólicas em excesso interferem negativamente na fertilidade.
  • A exposição a poluentes ambientais, pesticidas, solventes e outros elementos tóxicos podem causar redução da fertilidade.
  • A alimentação tem influência direta na fertilidade. Por isso, são indicados alimentos que ajudam a produzir os hormônios sexuais e a estimular a formação dos óvulos e dos espermatozoides, como frutas, legumes, verduras e sementes. Além disso, devem ser evitados alimentos gordurosos, como embutidos, manteiga, frituras.

É importante lembrar que muito fatores interferem na fertilidade de homens e mulheres o que torna cada história única. Desta forma, o processo até chegar a uma gravidez é diferente para cada pessoa, e a experiência pode ser diferente até mesmo para casais que já tenham filhos. 

Se você estiver com dúvidas se há algo errado com a sua fertilidade, procure ajuda de especialistas. Uma avaliação completa pode identificar a necessidade de pequenos ajustes no estilo de vida do casal, na alimentação e até mesmo detectar doenças tratáveis que estão impactando de forma negativa na fertilidade.

Quer entender como a Nilo Frantz pode auxiliar na realização do seu sonho? Acesse nosso material gratuito clicando na imagem abaixo:

Faça download do nosso guia de tratamentos para reprodução assistida