9 dúvidas mais comuns sobre congelamento de óvulos

De acordo com dados da OMS, cada vez mais mulheres adiam a maternidade, e para preservar a fertilidade e a qualidade dos óvulos, recorrem à criopreservação ou congelamento de óvulos. 

Outro motivo que conduz as pessoas a recorrerem a esse tipo de tratamento, são pacientes que vão se submeter a tratamentos oncológicos, como quimioterapia e radioterapia.

Pensando nisso, preparamos este artigo para responder algumas das principais dúvidas sobre o congelamento de óvulos.

Boa leitura!

1. Existe uma idade limite para congelar os óvulos? 

Apesar de não existir um limite de idade para congelar os óvulos, é recomendado que o procedimento seja realizado antes dos 35 anos, já que a partir dessa idade, a qualidade do óvulos diminuem significativamente. 

Aliás, é importante salientar que após os 40 anos da paciente, os óvulos terão menor chance  de tornarem-se embriões.

2. Quanto tempo posso manter o óvulo congelado? 

Quando feito em uma clínica qualificada e com profissionais experientes, o congelamento será capaz de preservar todas as características do óvulo por tempo indeterminado, podendo ser utilizado anos mais tarde, pois o óvulo não envelhecerá e suas características serão mantidas.

3. Quais são os métodos de congelamento existentes? 

Existem dois principais métodos de congelamento: 

Congelamento lento

Através deste método, o óvulo vai sendo congelado lentamente, diminuindo a temperatura de forma gradual para não possibilitar a formação de cristais que poderiam romper os óvulos. 

Congelamento rápido ou Vitrificação 

No caso da vitrificação, o processo de congelamento é rápido, o óvulo é submetido a baixa temperatura e de forma abrupta. 

Com este método, as chances de formação de cristais são menores e o resultado da recuperação do óvulo é bastante superior.

4. O que fazer se não quiser manter mais os óvulos congelados?

Caso não pretenda mais utilizar os óvulos congelados, existe a possibilidade de descartá-los, já que se trata apenas de um gameta. Outra possibilidade é doar os óvulos, mas será necessário assinar um termo de autorização.

5. Quando o congelamento de óvulos é indicado? 

O congelamento é indicado nas seguintes situações: 

  • casais que obtiveram óvulos em excesso durante um processo de fertilização in vitro; 
  • mulheres que passarão por quimioterapia ou radioterapia;
  • mulheres com histórico de menopausa precoce entre os familiares;
  • mulheres com preferencialmente menos de 35 anos, e que desejem preservar  sua fertilidade.

6. Quantos óvulos devo congelar?

Uma reserva considerada suficiente, tem cerca de 20 óvulos, no entanto, o número ideal vai depender do motivo que levou a mulher a recorrer ao tratamento e uma avaliação médica.

7. Quais são os riscos do processo? 

Para realizar a estimulação hormonal, a mulher recebe uma carga alta de hormônios para produzir mais óvulos em um mesmo ciclo, o que pode gerar complicações, como reação alérgica ao uso de hormônios, produção exagerada de óvulos, conhecida como síndrome do hiperestímulo ovariano, entre outras. 

Apesar disso, é importante ressaltar que todos esses riscos podem ser prevenidos com um acompanhamento médico adequado.

8. Existem diferenças na gravidez de um óvulo fresco e de um óvulo congelado? 

Não existe qualquer diferença na gravidez ao utilizar um óvulo fresco ou um óvulo congelado. Como mencionamos anteriormente, o processo de congelamento preserva as características do gameta.

9. Não vou usar meus óvulos congelados. Posso doá-los para alguém da minha família? 

No Brasil, a legislação exige o anonimato por ambas as partes, ou seja, a doadora não pode escolher para quem doar, porque essa doação deve ser sigilosa. 

Aliás, aqui no blog, temos um artigo mais detalhado sobre o que é e como funciona a doação de gametas no Brasil.

Considerações finais

Como vimos ao longo do artigo, apesar de ser cada vez mais popular, ainda existem muitas dúvidas sobre o congelamento de óvulos. O método tem sido uma opção para mulheres que optam ou precisam adiar a maternidade.

As técnicas de criopreservação, atualmente, conseguem preservar a qualidade dos óvulos por tempo indeterminado, para serem utilizados no momento desejado.

Portanto, se pensa em adiar a maternidade por qualquer motivo pessoal, esta pode ser uma boa opção.

Se você achou que o nosso post te ajudou a tirar as principais dúvidas sobre congelamento de óvulos, clique aqui e conheça as melhores técnicas da Medicina Reprodutiva no Brasil.

O nosso compromisso maior é gerar possibilidades para a vida.